Passar para o Conteúdo Principal Top
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • RSS feed

_MG_1253-2500x300-min

Abertura da Exposição de Pintura 'Contramuros', de Francisco Laranjo

17 Jan a 03 Abr
Adicionar a calendário 2022-01-17 00:00:00 2022-04-03 00:00:00 Europe/Lisbon Abertura da Exposição de Pintura "Contramuros", de Francisco Laranjo Evento
Abertura da Exposição de Pintura "Contramuros", de Francisco Laranjo

17 janeiro - 15h00 | Espaço Miguel Torga
Abertura da Exposição de Pintura "Contramuros", de Francisco Laranjo | Patente até 03 de abril 2022
Durante estes largos meses de incerteza e confinamento, o artista realizou estas aguarelas a que chamou: Imagens do silêncio. Se a pintura pressupõe em si mesma a condição de silêncio , na sua execução, o silêncio de um mundo parado e fechado que foi a experiência recente, acrescentaram silêncio ao silêncio da própria pintura, constituindo estas imagens repercussões dessa experiência.
Depois, elas aparecem e expõem-se como que em repouso, encostadas ao muro, como que também aguardando o seu destino final e razão: Contramuros.
Francisco Laranjo (1955, Sé, Lamego, Portugal). Curso Superior de Artes Plásticas na Escola Superior de Belas Artes do Porto (1973/78). Foi Bolseiro da JNICT, da Fundação Calouste Gulbenkian (1981/83) em Pós-Graduação e do Goethe Institut na Alemanha (2001). Na ESBAP e na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto realizou as provas académicas de pós-graduação e a Agregação, sendo aí actualmente Professor Catedrático. Professor Convidado em diversas Academias e Universidades como École Nationale Supérieure des Beaux-Arts, Paris; École des Beaux-Arts de Clermont-Ferrand, França; Hochschule fur Bildende Kunste, Dresden, Alemanha; École Supérieure des Arts de L’image, Bruxelas, Belgica; Facultad de Bellas Artes UCLM-Cuenca, Espanha; Marmara University, Istambul, Turquia; Ottawa University e Alberta College of Art and Design,Canada; USP, São Paulo, Brasil; Kyungpuk National University e Changwon National University, Coreia do Sul; Nagasaki University, Japão.
Tem exposto em prestigiadas Galerias e Museus em Portugal, Dinamarca, Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, Reino Unido, Canadá, Brasil, Chile, Índia, Japão, Coreia do Sul, entre outros países, e a sua obra está representada nas coleções do Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serralves, Porto; Museu da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Museu Amadeo de Souza Cardoso, Amarante; Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil; Museu ASP, Wroclaw, Polonia; Institute of Contemporary Arts, Kunsan, Coreia do Sul; Museu KNU, Coreia do Sul, entre outros.
No seu trabalho encontram-se interesses e linguagens que atravessam várias disciplinas da pintura, desenho, escultura, fotografia, como ainda cenografia e design. Tem colaborado com arquitectos na realização de obra pública. Constrói uma caligrafia metafísica em suportes de escalas de grandes variações, interessando-se pelo estudo da paisagem, pelo valor do gesto e da identidade cromática, explorando e questionando os meios como as técnicas da história das artes plásticas. É sobre o sentido da imagem a razão do seu testemunho.
Entre outros Prémios destacam-se: Premio Revelação na 1ª Exposição Nacional de Arte Moderna ARUS, Museu Nacional de Soares dos Reis, Porto e Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa, !982/83; Premiado no Concurso Anatomia e Geografia na Arte, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa,1986; Medalha de Mérito (Grau Ouro) da Camara Municipal do Porto, 2009; Medalha de Mérito (Grau Ouro) da Camara Municipal de Lamego, 2013; Agraciado como Comendador da Ordem da Instrução Publica pelo Presidente da Republica Portuguesa, 2015. Vive e trabalha no Porto.
www.franciscolaranjo.com