Passar para o Conteúdo Principal Top
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • RSS feed

_MG_1253-2500x300-min

Segurança da comunidade educativa é a prioridade no regresso do novo ano letivo em Sabrosa

Segurança da comunidade educativa é a prioridade no regresso do novo ano letivo em Sabrosa
17 Setembro 2020

O novo ano letivo começou hoje em Sabrosa com a segurança e a saúde da comunidade educativa a ser a prioridade de todos os intervenientes que prepararam este regresso.

Num ano atípico e com a COVID-19 a dominar toda a atividade letiva e extra-curricular, foi imperativo adotar várias medidas no combate à propagação desta doença. Para isso, e para além do desfasamento nos horários das aulas e a obrigatoriedade de cumprir todas as regras de etiqueta respiratória e de higiene recomendadas pela DGS, a redução da lotação dos veículos dos transportes escolares para 2/3 da sua capacidade, com desinfeção dos mesmos depois de cada transporte, é uma das medidas mais notadas. Foram ainda adotadas outras medidas especificas relativas às aulas e ao funcionamento do recinto escolar que limitarão os alunos na sua ação, mas que são imperativas para esta fase. O encerramento permanente do Bar Escolar, a atribuição de uma sala exclusivamente a cada turma e a criação de circuitos por todos os recintos do agrupamento são algumas das medidas que contribuirão para uma permanência em segurança nos recintos escolares. Em todas as salas de aulas e restantes espaços escolares foram colocados dispensadores de gel desinfetante e tapetes desinfetantes nas entradas dos espaços principais dos mesmos.
Do Agrupamento de Escolas Miguel Torga, Sabrosa fazem parte, neste ano letivo, a Escola Básica e Secundária Miguel Torga, a Escola Básica Fernão de Magalhães e os Jardins de Infância de São Martinho de Anta e Parada do Pinhão, num total de 584 alunos distribuídos por estes estabelecimentos escolares.
Neste regresso à escola, os responsáveis escolares e municipais deixam ainda um apelo a todos para que sejam cumpridas todas as regras de forma a que seja possível evitar a disseminação da COVID-19 no território sabrosense.