Passar para o Conteúdo Principal Top
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • RSS feed

_MG_1253-2500x300-min

Concerto de Filipe Raposo e Amélia Muge em homenagem a Manuel Hermínio Monteiro

Concerto de Filipe Raposo e Amélia Muge em homenagem a Manuel Hermínio Monteiro
image title
image title
image title
image title
image title
11 Setembro 2019

O auditório municipal de Sabrosa recebeu, ontem, 10 de setembro, o concerto "Pelo Fio dos Versos", por Filipe Raposo e Amélia Muge, uma iniciativa do Espaço Miguel Torga em homenagem a Manuel Hermínio Monteiro, na data do seu aniversário.

Num concerto simbólico e memorável, os dois artistas não conseguiram evitar a emoção em cada melodia e em cada citação do homenageado, fazendo o público, sobretudo os seus familiares e amigos recordar a inteligência e a perspicácia deste grande homem.
Manuel Hermínio Monteiro, além de uma invulgar intelectualidade, no seu papel de editor, deu valor a poesia portuguesa e divulgou alguns poetas menos reconhecidos criando como que uma pequena história da poesia portuguesa. Deu mais visibilidade a nomes como, Teixeira de Pas-coaes, Mário de Sá – Carneiro, Fernando Pessoa, António Patrício, Edmundo Bettencourt, Ruy Cinatti, Herberto Hélder, Casimiro de Brito, Fiama Hasse Pais Brandão, Gastão Cruz e Luiza Neto Jorge, João Miguel Fernandes Jorge, Tolentino, José Agostinho Baptista, Joaquim Manuel Maga-lhães, António Franco Alexandre, Al Berto, e António Gancho.
No seu longo curriculum algumas das muitas referências consta a sua conceção e direção da revista “A Phala” da qual se destaca: “A Phala: Um Século de Poesia (1888-1988) ”. Esteve ligado a promoção de muitas livrarias do Porto e Lisboa e participou em programas na Radio e T. Foi diretor da revista “MetropoLIS” no âmbito de Lisboa Capital Europeia da Cultura lançou a Associação Cultural Saldanha. Fora de portas, esta ligado a revista hispano-americana de poesia “ Hablar/Falar de Poesia” e teve publicações no jornal “ La Vanguardia. Mas o seu ícone foi sem dúvida a edição antologia universal “A Rosa do Mundo 2001 Poemas para o Futuro”.
Considerado um filho da terra em Parada do Pinhão, Manuel Hermínio Monteiro faleceu em Junho de 2001 com 48 anos.