Passar para o Conteúdo Principal Top
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • RSS feed

_MG_1253-2500x300-min

Abertura da exposição "Corpo e Paisagem" - Gulbenkian Itinerante no Espaço Miguel Torga

Img 1024 min 1 1024 2500
Dsc 0042 min 1 1024 2500
Img 1026 min 1 1024 2500
Img 1031 min 1 1024 2500
Img 1041 min 1 1024 2500
Img 1052 min 1 1024 2500
Img 1053 min 1 1024 2500
Img 1068 min 1 1024 2500
Img 1072 min 1 1024 2500
Img 1082 min 1 1024 2500
Img 1084 min 1 1024 2500
03 Dezembro 2018

A cerimónia de abertura da exposição "Corpo e Paisagem", do Museu Gulbenkian, decorreu no passado sábado, no Espaço Miguel Torga, e assinalou o início de um período, até 17 de março de 2019, em que esta exposição estará patente no Espaço.
Na ocasião estiveram presentes, entre outras individualidades, o Presidente do município de Sabrosa, Domingos Carvas, o Diretor do Espaço Miguel Torga, João Luís Sequeira, a Diretora do Museu Calouste Gulbenkian, Penélope Curtis, o Diretor Adjunto da Fundação Calouste Gulbenkian, Nuno Vassallo e Silva, a Vereadora da Cultura do Município de Bragança, Fernanda Maria Fernandes Morais Vaz Silva, e o Diretor do Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, Jorge da Costa.

Esteve também presente a pintora Graça Morais, que falou sobre a obra Mapas e Espírito da Oliveira, incluída nesta exposição, a propósito da qual deu conta da figura e da amizade com Miguel Torga, que era um confesso admirador desta obra.

Nesta exposição, composta por obras de artistas como Armando Basto, Augusto Alves da Silva, Alberto Carneiro, Almada Negreiros, Carlos Botelho, Costa Pinheiro, Graça Morais, Jorge Barradas, Júlio Resende, Maria Beatriz, Mário Eloy, Menez, Paula Rego e Rui Sanches, privilegiam-se temas como o corpo e a paisagem, géneros artísticos que ao longo da história da arte se têm manifestado através das mais variadas formas e processos, articulando-se, num e noutro caso, a partir de criações de épocas distintas e de domínios tão diversos como os da pintura e da escultura, do desenho e da fotografia.
Esta exposição faz parte de um projeto que integra um conjunto mais vasto de exposições, que o Museu Gulbenkian apresenta, entre 2018 e 2020, em diversos museus de norte a sul do país, retomando, na génese, o conceito do extinto projeto das emblemáticas bibliotecas itinerantes.Está exposta em dois momentos, simultaneamente no Espaço Miguel Torga, em São Martinho de Anta, Sabrosa, no Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança, e posteriormente no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco.