Passar para o Conteúdo Principal Top
  • Facebook
  • Youtube
  • Instagram
  • RSS feed

_MG_1253-2500x300-min

Vespa da Galha do Castanheiro - Uma praga recente que está instalada na região

Img 20180525 104337 min  1  1 1024 2500
Img 20180525 104240 min 1 1024 2500
Img 20180525 105021 min 1 1024 2500
Img 20180525 113708 min 1 1024 2500
Img 20180525 114413 min 1 1024 2500
Img 20180525 114426 min 1 1024 2500
05 Junho 2018

A vespa da galha do castanheiro, (Dryocosmus kuriphilus Yasumatsu) é um inseto minúsculo, originário da China, que ataca os castanheiros, causando a formação de galhas nos gomos e nas folhas. Provoca assim a diminuição do crescimento dos ramos e impede a frutificação, e pode conduzir ao declínio e morte dos castanheiros. Foi detetado em Portugal, no Entre Douro e Minho em 2014 e em Trás-os-Montes em 2015.

O Município de Sabrosa, através do pelouro de Gestão de Floresta e Agricultura, aderiu ao protocolo BioVespa em 2016 com a RefCast (Associação Portuguesa de Produção de Castanha), apoiando a realização de luta biológica em focos de infestação validados em conjunto com a Direção Regional de Agricultura do Norte, também parceira nesta luta.
Atendendo a que é uma praga muito recente, agressiva e perante os conhecimentos técnicos atuais, o tratamento químico é ineficaz e tem grande impacto negativo no ambiente. A luta biológica até ao momento, apresenta-se como o meio mais eficaz com a realização de largadas sucessivas, na primavera, de populações do himenóptero Torymus sinesis, que é parasitoide das larvas da vespa da galha do castanheiro. No concelho de Sabrosa, o Município apoiou desde 2016 a realização de largadas deste parasitoide numa tentativa de contenção da praga. Este ano, em 2018 foram apoiadas 4 largadas no concelho, em zonas com produção de castanha, devidamente validadas tecnicamente e com nível de infestação da vespa da galha considerado elevado.
Este ano será um trabalho que poderá durar anos, até que a natureza atinja o seu próprio equilíbrio ecológico e esta praga se controle em níveis que não sejam tão nefastos para a produção local. Estão a ser desenvolvidos estudos por especialistas com espécies nativas para uso futuro na limitação natural desta praga.
Foi ainda criada uma "Comissão de Acompanhamento, Prevenção e Combate à Vespa-das-galhas-do-castanheiro", criada pelo Despacho n.º 5696/2017, de 29 de junho de 2017, do Senhor Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.
O Município de Sabrosa está atento a estas situações do panorama agrícola e esta é mais uma praga que beneficia das alterações climáticas cada vez mais presentes e às quais temos todos que estar atentos.